Meta-Análise

Sexta-feira
29 de Agosto
  • Entrar
  • Registrar-se
    Registrar-se
    *
    *
    *
    *
    *
    Fields marked with an asterisk (*) are required.
    Captcha plugin for Joomla from Outsource Online
     

Preencha o cadastro abaixo para efetuar os downloads gratuitos dos White Papers da Oracle

* *
*
* * * É cliente Oracle? *
*
*
*
*
*
*
* Campos de preenchimento obrigatório.

Política de privacidade: Estou ciente que os dados informados neste formulário são de uso exclusivo da Oracle e que serão mantidos em sigilo absoluto e não serão repassados a terceiros. Também estou ciente que a Oracle poderá entrar em contato comigo futuramente.

Selecione os arquivos que você quer baixar.
Selecionar todos :: Remover Seleção

Baixar Selecionados

Preencha o cadastro abaixo para efetuar os downloads gratuitos dos White Papers da Oracle

* *
*
*
*
*
*
*
*
*
* Campos de preenchimento obrigatório.

Política de privacidade: Estou ciente que os dados informados neste formulário são de uso exclusivo da Oracle e que serão mantidos em sigilo absoluto e não serão repassados a terceiros. Também estou ciente que a Oracle poderá entrar em contato comigo futuramente.

Selecione os arquivos que você quer baixar.
Selecionar todos :: Remover Seleção
Baixar Selecionados













Baixar Selecionados

Home Melhores Práticas Intelbras reestrutura área de Inteligência Competitiva

Intelbras reestrutura área de Inteligência Competitiva

Imprimir

Em apenas seis meses, área apresentou resultados efetivos para subsidiar o processo de tomada de decisão estratégica.

“O foco da área de Inteligência Competitiva deve ser claro para que todos na empresa entendam o que a área faz”. A afirmação foi feita por Cristiane Iata, responsável pelas ações de Inteligência da Intelbras, durante o Fórum de Inteligência de Mercado 2011, realizado pelo Ibramerc (Instituto Brasileiro de Inteligência de Mercado).

Em sua apresentação, Cristiane explicou como a empresa, em apenas seis meses, reestruturou a área de Inteligência Competitiva e apresentou resultados rápidos para subsidiar o processo de tomada de decisão estratégica.

Até maio de 2010, a área de Inteligência apresentava as seguintes características: colaboradores dedicados por unidade de negócios; demandas vindas de todas as áreas; geração de relatórios sem a necessidade de análise; e sistema avançado de planilhas.

De acordo com a executiva, da maneira em que estava estruturada, a área de IC acabava se concentrando apenas na geração de dados e relatórios, e não no processo de análise. Como a Inteligência da empresa atende todas as unidades de negócios da Intelbras (telecom, segurança e informática), a separação de colaboradores dedicados a uma área específica também prejudicava o setor, já que se um analista saía da organização, as informações eram perdidas.

“Quando assumi a área, em maio de 2010, reestruturamos a Inteligência Competitiva pelas seguintes fases: definição do foco; definição dos processos e papel dos analistas; projeto piloto de ‘sensibilização’; e resultados validados e utilizados por todas as unidades de negócio da empresa”, explica Cristiane.

Após definição do foco da área, que é a busca e análise de informações para a tomada de decisão na empresa, foi feita a definição dos processos que seriam utilizados para a coleta de informações e análise e o papel da equipe: na nova estrutura, a opção foi utilizar uma abordagem multidisciplinar, ou seja, os analistas têm visão de todas as áreas de negócios da empresa. Assim, além de gerar uma riqueza de análise, é evitada a perda de informações.

Toda a equipe também se reuniu com o presidente da empresa para definição e alinhamento das principais necessidades de Inteligência. Como a Intelbras possui uma área de marketing de produtos para cada unidade de negócios, responsável pelos processos de monitoramento contínuo (mercado, clientes, concorrentes etc), a área de Inteligência procura trabalhar próxima a esses setores, para a troca de informações e alinhamento de estratégias.

No processo de reestruturação, foi realizado também um projeto piloto para sensibilizar as unidades de negócios. “O projeto foi fundamental na reestruturação da área. Sem ele, não teríamos mostrado claramente toda a importância da área de IC”, conta Cristiane.

Para o projeto piloto, foi escolhida uma área e realizado, a partir de PIB, consumo de famílias, demanda, entre outros indicadores, um levantamento do índice de demanda para cada um dos 5.565 municípios brasileiros, que mostrava, entre outros pontos, a identificação de municípios onde a empresa está presente e as lacunas. “Colocamos esse levantamento em um mapa, e conseguimos identificar pontos de extrema importância para a atuação da empresa, como, por exemplo, onde existia demanda pelos nossos produtos e não estávamos presentes. Isso conquistou a área comercial”, explica a executiva.

A partir dos resultados do piloto, o projeto foi replicado para todas as unidades de negócio da empresa, e também para cada linha de produtos. No mapeamento, foram trabalhadas nove necessidades de Inteligência, entre elas: atualização das informações dos municípios atendidos pelos nossos parceiros ou por faturamento direto; a distribuição do faturamento orçado x realizado (quais municípios mais rentáveis para a empresa), a presença de assistências técnicas por município etc.

“Quando terminamos o nosso trabalho, fizemos uma varredura para ver o aproveitamento de nosso trabalho pelas unidades de negócios da empresa”, diz Cristiane. Entre as estratégias adotadas graças ao trabalho de Inteligência, está a distribuição de cotas para representantes, foco do representante em municípios onde a Intelbras não está presente, contratação de novos representantes, argumento para a discussão (a diretoria da empresa pode fazer reuniões com os mapas e dados nas mãos) e abertura de novos distribuidores.

Além da conscientização do foco da área de IC, apoio total do presidente – principalmente durante a fase de estruturação da área e nas definições das necessidades de Inteligência -, e do projeto piloto para a sensibilização da importância da área para os resultados da empresa, Cristiane também aponta como fator importante para o sucesso da reestruturação do setor de IC a identificação do perfil público usuário da informação. “Alguns diretores gostam de mapas, outros de gráficos ou relatórios. Perceber quem utiliza o que é fator chave, pois ninguém utiliza o que não entende”, finaliza Cristiane.

 

Última atualização ( Qui, 16 de Junho de 2011 10:47 )  

Comente esta matéria


Código de segurança
Atualizar

  • Últimas Notícias

  • Mais Lidas

  • ESPECIAIS

Oracle OpenWorld Latin America 2010
Sex, 10 de Dezembro de 2010
São Paulo recebeu, nos dias 7, 8 e 9 de dezembro, em São Paulo, a quarta edição do encontro de clientes, parceiros, prospects e desenvolvedores Oracle, o ‘Oracle OpenWorld Latin...
Latin America Competitive Intelligence Summit
Seg, 08 de Novembro de 2010
O Scip - Strategic and Competitive Intelligence Professional, em parceria com a IBC/Informa Group, realizou em São Paulo a segunda edição do Latin America Competitive Intelligence Summit , do dia...
Outros Especiais

Eventos

Próximos Eventos
Ver todos os eventos ...

Perfil do Negociador

Que tipo de negociador é você?

*

*

Desejo receber gratuitamente a newsletter do Portal Meta-Análise
Desejo receber o resultado do teste também por e-mail

* Campo de Preenchimento Obrigatório

1) Durante uma reunião, necessito fazer uma observação sobre um comentário de um interlocutor. Minha primeira atitude é:
Esperar o interlocutor terminar de falar e aí sim eu faço meus comentários;
Pedir uma pausa e fazer meus comentários em cima do que foi dito;
Esperar o melhor momento para fazer os meus comentários;
Fazer meus comentários prontamente;

2) Decido tudo porque tenho uma ótima capacidade de percepção e expressão:
Raramente;
Muitas vezes;
Quase sempre;
Sempre;

3) O acionista principal não compareceu à reunião de apresentação do "Projeto" de sua responsabilidade. Qual a sua postura diante da ocorrência:
Tenta remarcar a reunião, entendendo que a participação dele é imprescindível;
Toca a reunião com os demais, lamentando a ausência do acionista;
Busca compreender a situação e solicita uma outra opinião antes de prosseguir;
Considera importante rever a continuidade da reunião;

4) Quando sou contrariado em alguma opinião de valor, costumo ter o seguinte comportamento:
Fico calado e não deixo transparecer para os demais que não gostei;
Procuro entender a opinião diferente e contesto com meus argumentos;
Procuro saber se mais pessoas na reunião pensam daquela maneira e aí sim coloco a minha opinião sobre o mesmo assunto;
Dificilmente sou contrariado em alguma opinião de valor;

5) Argumentos embasados na hora da negociação são fatores determinantes para o fechamento:
Raramente;
Muitas vezes;
Quase sempre;
Sempre;

6) Se o interlocutor gesticula muito enquanto fala, tenho dificuldades de identificar o que está sendo dito:
Raramente;
Algumas vezes;
Quase sempre;
Sempre;

7) É sua 1ª reunião com a equipe que aprovará seu Projeto. Um dos participantes demonstra total desinteresse no Projeto. Sua atitude primeira é de:
Pedir-lhe a atenção, já que é o único desinteressado;
Saber as razões do seu total desinteresse;
Convidá-lo de maneira educada a participar junto de sua equipe;
Desconsidero o desinteresse e prossigo na apresentação;

8) Demonstro entendimento sobre o que está sendo tratado através de sinais afirmativos:
Raramente;
Algumas vezes;
Quase sempre;
Sempre;

9) Após uma apresentação de duas horas referente a um Projeto, não tenho certeza se todos os participantes compreenderam. Minha atitude é:
Solicitar aos participantes falarem dos tópicos para me certificar da compreensão;
Lançar algumas perguntas pertinentes ao assunto checando a compreensão;
Se ninguém tem perguntas é porque entenderam todo o Projeto;
Perguntar sobre os tópicos que considero mais difíceis de entendimento;

10) Gosto mais de Falar do que Ouvir:
Raramente;
Muitas Vezes;
Quase sempre;
Sempre;

11) Uma reunião é interrompida bruscamente, você estava expondo um Projeto de grande impacto para o negócio, como conduz:
Aproveito a interrupção e faço um momento de 'lazer';
Continuo a reunião após a interrupção sem falar no assunto;
Fico constrangido sem saber exatamente o que fazer;
Considero que meu tempo terminou;

12) Costumo me concentrar nos pontos principais da negociação e procuro anotar o que não compreendi:
Raramente;
Algumas vezes;
Quase sempre;
Sempre;

13) Se alguém conversa com você e não olha diretamente nos olhos fica com a impressão que:
O interlocutor pode ser mentiroso;
Ele certamente tem medo;
Ele pode ser tímido;
Nem penso sobre isto;

14) Gosto mais de fazer perguntas do que dar respostas:
Raramente;
Muitas Vezes;
Quase Sempre;
Sempre;

15) Quando os argumentos são mais importantes que os fatos:
Nunca;
Às Vezes;
Frequentemente;
Raramente;


Alog-::- Hospedado pela Alog Data Centers do Brasil -::- Data Center -::-  Hosting -::- Colocation -::- Servidores Dedicados -::- Mapa do Site -::- Alog